marcos bertoldi formou-se em arquitetura e urbanismo pela pontifícia universidade católica do paraná em 1982, no mesmo ano especializou-se em arquitetura paisagística. em 1984, após um ano viajando entre estados unidos e europa, iniciou atividade profissional em escritório próprio. atualmente possui escritórios em curitiba e são paulo.

lecionou de 1985 à 1987 na cadeira de projeto arquitetônico na pontifícia universidade católica do paraná e de 2002 à 2016 nos cursos de graduação e pós-graduação em arquitetura e urbanismo na universidade positivo.

foi inúmeras vezes premiado em concursos nacionais e ganhou o concurso para o portal alemão em curitiba, monumento em homenagem a colonização alemã no estado do paraná. continuamente publicado nacional e internacionalmente, foi incluído no livro e exposição parisiense “ainda moderno?”, editora nova fronteira sob curadoria de carlos eduardo comas, em 2005.

em 2010, foi apontado pela revista norte-americana architectural digest, na edição “the new ad 100”, com um dos cem arquitetos mais influentes e promissores do mundo.

em 2014, a revista alemã md interior|design|architecture, publicou matéria de capa com um de seus recentes projetos residenciais sob o título “vertical house”.

em 2015, as revistas argentinas summa+ e barzon apresentaram, respectivamente, seu projeto de recuperação da casa niclewicz de vilanova artigas em curitiba —  onde mora e trabalha — e seu escritório e residência paulistanos, em prédio modernista de abrahão sanovicz.

ainda em 2015, teve o conjunto de suas casas reconhecido pelo principal programa sobre arquitetura residencial do brasil, o “casa brasileira”  transmido pelo canal fechado gnt/globo, tendo sido o único arquiteto da região sul do país a merecer programa exclusivo nesta emissora.



principal